quinta-feira, 20 de julho de 2017

OPORTUNIDADE: Canadá recruta brasileiros para atuar no setor de TI e paga até R$19 mil

Imagem relacionada


Brasileiros com formações nas áreas da Tecnologia da Informação (TI) e usinagem e que dominem o francês podem se inscrever em uma das 216 vagas abertas para trabalhar no Canadá. A informação é da Agência de Desenvolvimento Econômico do Québec, do Canadá. Para concorrer a uma vaga, além da língua francesa, idioma oficial da província canadense, é necessária experiência em uma das duas áreas.

Os profissionais de TI devem ser tecnólogos em informática ou possuir graduação em Ciência da Computação, Construção de Computadores, Engenharia Elétrica ou Eletrônica. Já para as vagas de usinagem, é preciso ter experiência em operação e programação de máquinas ou soldagem.

Joesley Batista decide processar políticos, jornalistas e apresentadores de TV que o xingam publicamente



O empresário Joesley Batista, da JBS, decidiu processar políticos, jornalistas e apresentadores de TV que o xingam publicamente.
As indenizações que ganhar, diz ele, serão destinadas a uma instituição de caridade.
O presidente Michel Temer está na lista dos que serão acionados. A dúvida é se Temer, por ser presidente, pode ser processado criminalmente ou apenas na esfera cível. O presidente já chamou Joesley de “bandido confesso” e seus assessores de “capangas”.O político do PMDB, por sinal, já processa Joesley.
A lista de nomes que serão processados, estrelada por Temer, está sendo feita por uma equipe de advogados que faz levantamento das críticas feitas ao empresário. Mais de 20 pessoas estão na mira do dono da JBS.
Os defensores consideram que, depois de fazer delação, Joesley passou da condição de criminoso para a de testemunha protegida pelo Estado e um cidadão em dia com a Justiça.
Toda vez que alguém o chama de “bandido”, portanto, estaria cometendo crime de injúria, calúnia e difamação.

STJ veta controle prévio de conteúdo no Facebook e afasta multa diária



Facebook
O Facebook não pode ser obrigado a monitorar previamente os conteúdos postados pelos usuários de sua rede, o que torna inviável a imposição de multa diária com tal objetivo. A decisão unânime foi da Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça, ao julgar recurso de relatoria da ministra Nancy Andrighi.
O colegiado entendeu que o Facebook não responde objetivamente pela inserção de informações ilegais feita por terceiros em seu site.
Entretanto, assim que os responsáveis pelo provedor da rede social tiverem conhecimento da existência de dados ilegais, devem 'removê-los imediatamente, sob pena de responderem pelos danos respectivos' - devendo ainda 'manter um sistema minimamente eficaz de identificação de seus usuários'.
O caso teve início com ação proposta por um usuário que passou a receber ameaças e ofensas por meio do Facebook.
A sentença obrigou os agressores e o Facebook a retirar da rede social todos os conteúdos que fossem ofensivos ao autor, no prazo de 24 horas, contado da intimação, sob pena de multa diária no valor de R$ 10 mil para cada mensagem, fotografia ou matéria mantida ou inserida.
A decisão foi confirmada pelo Tribunal de Justiça de São Paulo.
No STJ, o Facebook alegou, entre outras questões, que não está sujeito à responsabilidade objetiva e que seria impossível monitorar ou moderar o conteúdo publicado em sua plataforma, em razão da grande quantidade de novos dados inseridos a cada segundo pelos usuários.
O Face sustentou ainda que precisa ser alertado previamente de que houve alguma ofensa, injúria ou difamação para, em seguida, providenciar a remoção.
A ministra Nancy Andrighi afirmou que não há no ordenamento jurídico nenhum dispositivo que obrigue o Facebook a realizar monitoramento prévio dos conteúdos que serão disponibilizados.
"Na hipótese dos autos, esse chamado monitoramento nada mais é que a imposição de censura prévia à livre manifestação em redes sociais", alertou Nancy.
De acordo com a relatora, o controle editorial prévio do conteúdo das informações se equipara à quebra do sigilo da correspondência e das comunicações, proibida pelo artigo 5º, inciso XII, da Constituição Federal.
As informações foram divulgadas no site do STJ.

O jornalista Evaristo Costa decide não renovar contrato com a TV Globo

Apresentador do Jornal Hoje vai morar fora do Brasil com a família 

Resultado de imagem para evaristo costa

Evaristo Costa, que apresenta o Jornal Hojedesde 2004 como âncora fixo, decidiu sair da Globo. O atual compromisso ainda tem validade de mais dois meses.
De acordo com o jornalista Flávio Ricco, trata-se “de uma decisão em caráter pessoal e irrevogável”, ou seja, irreversível. A publicação ainda diz que ele tirará um “ano sabático” e vai morar fora do Brasil com a mulher e as duas filhas. Só depois da viagem ele decidirá seu futuro na televisão.
Com isso, internamente, o nome de Rodrigo Bocardi já aparece como novo apresentador do programa.




Crise da corrupção pode resultar em eleição de "Trump brasileiro"

Resultado de imagem para The Huffington Post

O diário norte-americano The Huffington Post publicou nesta quinta-feira (20) uma longa matéria sobre a crise da corrupção que assola o meio político do Brasil, assim como grandes empresas, faltando pouco mais de um ano para as eleições presidenciais que acontecem em outubro de 2018.
O noticiário diz que a potência não-nuclear do mundo e a quarta maior democracia está em meio a uma crise política que parece que não acaba nunca. Nos últimos três anos, o crescente escândalo de corrupção do Brasil envolveu centenas de políticos, a presidente Dilma Rousseff foi deposta e o ex-presidente do país, Luiz Inácio Lula da Silva, foi condenado a quase dez anos de prisão e o atual mandatário está em vias de ser retirado do seu cargo.
Post avalia que a condenação e possível prisão de um ex-presidente, potencial candidato para as eleições presidenciais do próximo ano, levará o Brasil à uma crise ainda maior. Mas também deve causar preocupação para o resto do mundo. Sem um Brasil estável, será difícil - talvez impossível - resolver os problemas internacionais mais urgentes do planeta.
"O mundo precisa do Brasil", disse Mark Langevin, chefe do Instituto do Brasil na Escola de Assuntos Internacionais Elliott da Universidade George Washington.
O editorial sentencia que para muitos brasileiros, Lula pareceu ser a solução para muitos problemas do país e se eleito pode transformar a história brasileira. Sua popularidade caiu desde as avaliações de quando deixou o cargo, mas ele ainda está entre os políticos mais queridos em um país onde esta classe está em declínio. Uma pesquisa realizada no final de junho, antes de sua condenação, mostrou que ele era o favorito para ganhar a presidência novamente em 2018.
Bolsonaro, assim como Lula, é um populista. Ao contrário do ex-presidente, no entanto, ele é uma criatura da extrema direita do Brasil, uma espécie de anti-Lula que se opõe aos movimentos feministas, imigração e programas do país para promover a igualdade racial.
O ex-capitão do exército expressou apoio à junta militar que governou o Brasil de 1964 a 1985, suscitando preocupações de que ele tem o perfil autoritário que os eleitores brasileiros evitaram desde que retornaram à governança democrática. No ano passado, quando ele proferiu o seu voto para depor Dilma, dedicou ao homem que dirigiu o programa que a torturou e muitos outros durante a ditadura, lembra o Huffington Post.
O deputado Jair Bolsonaro, que foi descrito como "Donald Trump do Brasil", está entre os candidatos que poderiam se beneficiar se o ex-presidente Lula da Silva não puder concorrer em 2018, observa o Post.
"Existe a preocupação de que essas forças autoritárias possam se aproveitar desta situação", disse Bruno Brandão, gerente de país da Transparência Internacional, uma organização sem fins lucrativos de combate à corrupção.
"Eles estão capturando o discurso da anticorrupção, essas forças populistas e autoritárias, e tentando lucrar com o descontentamento geral. Eles estão usando o discurso da anticorrupção, e isso é particularmente preocupante ", disse ele.
Muitos especialistas descartaram Bolsonaro como um estranho de um pequeno partido com poucas chances de ascender à presidência. Mas ele sempre se mostrou a segunda ou terceira opção mais popular nas pesquisas de eleições antecipadas, e sua popularidade aumentou de apenas alguns pontos percentuais no ano passado até 18% no mês passado, conclui.
Por todo o significado global das crises em curso no Brasil, este é o principal motivo de preocupação para o Brasil, finaliza.

Fonte:JB

quarta-feira, 19 de julho de 2017

VAI DOER NO BOLSO: Governo deve anunciar aumento de impostos nesta quinta

Resultado de imagem para henrique meirelles
O governo deverá anunciar na quinta-feira aumento de impostos sobre a gasolina para ajudar a melhorar as receitas e garantir o cumprimento da meta fiscal neste ano, em meio à recuperação econômica mais fraca do que esperada após dois anos seguidos de recessão.
De acordo com uma fonte, a Receita Federal ainda calculava os impactos dos aumentos, que já teriam sido aprovados pela equipe econômica comandada pelo ministro da Fazenda, Henrique Meirelles.
O anúncio deve ocorrer junto com a divulgação do relatório de receitas e despesas do governo para o bimestre, prevista para quinta-feira.
O governo tem se esforçado para gerar receitas extras que ajudem a cumprir a meta de déficit primário deste ano, de 139 bilhões de reais, em meio aos fracos sinais de recuperação da economia e após a forte crise política que atingiu o governo do presidente Michel Temer.
Aumentar impostos da gasolina, além de ajudar com mais receitas, poderá agradar os produtores de etanol, que vêm sofrendo com os preços baixos do combustível.
Além disso, não haverá problemas para manter o controle da inflação, que vem perdendo muita força e mantido o caminho aberto para o Banco Central cortar cada vez mais a taxa básica de juros e, assim, estimular a economia. Hoje, a Selic está em 10,25 por cento ao ano.

As movimentações bancárias de Edilázio a Nelma Sarney



O deputado estadual Edilázio Junior (PV) terá de explicar o por quê da movimentação atípica de R$ 6 milhões em uma conta bancária, constatada pelo Conselho de Controle de Atividades Financeiras (COAF). Entre as movimentações feitas pelo nobre parlamentar ecológico eis que aparece o nome da sua sogra, a desembargadora Nelma Sarney, do Tribunal de Justiça do Maranhão.

Segundo informações do Jornal Pequeno, o COAF enviou o relatório de investigação financeira de número 11.581 para o Ministério Público Federal, a Polícia Federal e ao Ministério Público Estadual. O MPF e o MP instauram procedimentos para apurar as diversas ocorrências de movimentações financeiras suspeitas de Edilázio Júnior, entre elas um depósito em dinheiro de R$ 123 mil na conta da sogra e desembargadora Nelma Sarney.

Tanto Nelma Sarney quanto Edilázio Júnior puseram a culpa pelo depósito em Raimunda Célia Moraes, ex-gerente do Bradesco, acusada de agiotagem, estelionato e apropriação indébita contra clientes do banco, e que havia sido gerente da conta dos dois.

Na semana passada, o MP teve negado pela Justiça estadual o pedido de quebra de sigilo bancário da desembargadora. A ação resultou numa crise entre o Ministério Público e a Justiça estadual.

Por:blogmariocarvalho